Compete

Designação do Projeto | GREENValue – Valorização da Geração de Recursos em Espaço Natural

Código do Projeto | POCI-07-62G4-FEDER-181589

Objetivo Principal | OT 13 – Promoção da recuperação da crise no contexto da pandemia de COVID-19 e preparação de uma recuperação ecológica, digital e resiliente da economia.

Região de Intervenção | Norte

Entidades Beneficiárias | Águas do Norte, S.A., Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Resíduos do Nordeste, EIM, SA, Câmara Municipal de Alfândega da Fé, União de Freguesias de Pombal e Vales, União de Freguesias Gebelim e Soeima e União de Freguesias Ferradosa e Sendim da Serra.

Data de Aprovação | 19 de setembro de 2022

Data de Início | 1 de julho de 2022

Data de Conclusão | 31 de dezembro de 2023

Custo Total Elegível | 976.644,06 €

Apoio Financeiro FEDER | 976.644,06 €

Investimento UTAD | 300.101,26 €

Investimento Elegível UTAD | 300.101,26 €

Apoio Financeiro UTAD | 300.101,26 € (FEDER)

Breve Descrição do Projeto | O projeto GREENValue – Valorização da Geração de Recursos em Espaço Natural – visa o restauro ecológico de áreas significativas de terrenos florestais em risco de desertificação do Concelho de Alfândega da Fé (classificadas como semiáridas e sub-húmidas secas de acordo com Índice de Aridez de 1980-2010). Nesse sentido, o projeto propõe testar a introdução de 4 espécies arbóreas (2 espécies resinosas – pinheiro manso e pinheiro bravo – e 2 espécies folhosas – sobreiro e azinheira), bem conhecidas pela sua adaptabilidade a este tipo de ecossistemas, nos planos de arborização a implementar.

Adicionalmente, o GREENValue propõe a inclusão de biofertilizantes, provenientes principalmente das ETAR do Concelho de Alfândega da Fé, tratados através de estabilização com óxido de cálcio (cal viva) ou compostados, com o objetivo de melhorar a qualidade do solo e a sua capacidade para fornecer serviços aos ecossistemas, nomeadamente ao nível da manutenção e desenvolvimento do coberto vegetal. Neste contexto, pretende-se validar a aplicação florestal destes subprodutos, conferindo-lhes valor acrescentado e permitindo mitigar dois problemas ambientais atuais: a perda de qualidade dos solos (e consequente processo de desertificação) e o destino e valorização de grandes quantidades subprodutos provenientes das ETAR e materiais estruturantes provenientes da atividade da empresa Resíduos do Nordeste, com o objetivo de promover a economia circular mas, igualmente, tornar a sua aplicação ao solo mais ecocompatível. Pretende-se acompanhar estes ensaios de campo por forma a avaliar a eficácia e sustentabilidade dos planos de restauro aplicados, bem como da eficácia da aplicação dos biofertilizantes na mitigação da desertificação, nomeadamente avaliando os efeitos no solo, e no coberto vegetal a nível silvícola e ecofisiológico.

Além disso, pretende-se ainda apostar no desenvolvimento de processos alternativos para o tratamento das lamas das ETAR, através da técnica de compostagem convencional e da vermicompostagem, testando soluções que passam pela avaliação de diferentes misturas de forma a obter um produto final devidamente higienizado, estabilizado e maturado. Estas soluções serão, posteriormente, testadas em ensaios de bancada, pretendendo-se deixar uma porta aberta para futuros ensaios de campo numa tentativa de obter biofertilizantes seguros para utilização futura no setor florestal, numa perspetiva closing the loop.

Para levar a cabo o projeto GREENValue foi constituído um consórcio de 7 entidades – a Águas do Norte, a Resíduos do Nordeste, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, a Câmara Municipal de Alfândega da Fé, a União de Freguesias de Pombal e Vales, a União de Freguesias de Gebelim e Soeima e a União de Freguesias de Ferradosa e Sendim da Serra –, as quais reúnem as competências, know how e meios técnicos necessários para realizarem os desenvolvimentos propostos. Para que os objetivos elencados sejam concretizados, este consórcio promotor elaborou um Plano de Trabalhos constituído por 6 atividades – com um caráter marcadamente experimental e de desenvolvimento – a executar ao longo de 18 meses.