espanhois

Sem candidaturas para 2018/2019

 

APRESENTAÇÃO

A Pós-graduação em Património Cultural vem preencher uma lacuna na oferta formativa na área do património material e imaterial da região norte de Portugal. A realização do curso vem cumprir as premissas emanadas pela Unesco no que diz respeito à preservação do património cultural e à Convenção para a salvaguarda do património cultural imaterial (2003). Após a realização de inquéritos informais, crê-se que a concretização deste curso permitirá corresponder à necessidade de apoio técnico-científico a sectores fulcrais na dinamização e preservação do Património Material e Imaterial, como é o caso das Autarquias, dos Museus e do Turismo, bem como o Associativismo Cultural.

 

OBJETIVOS

Este curso permite aos formandos:
– Aprofundar os conhecimentos na área do Património Cultural Material e Imaterial através de projetos, atividades e contactos efetivos com instituições culturais nos espaços português e lusófono;
– Dotar futuros empreendedores de competências para a criação e sustentabilidade de empresas culturais;
– Compreender o conceito de património cultural e de património cultural imaterial;
– Fornecer instrumentos operativos para a definição de estratégias de salvaguarda do PCI e PCM;
– Introduzir e problematizar o conceito de PCI no contexto dos museus;
– Apresentar o enquadramento teórico sobre o PC e os museus;
– Analisar boas práticas de salvaguarda do PC;
– Adquirir capacidades de identificação, levantamento, inventário, registo, recolha, preservação e divulgação do património cultural imaterial;
– Aplicar os conhecimentos adquiridos em casos-de-estudo;
– Sensibilizar os formandos para a mais valia económica e social do Património Cultural
– Integrar grupos de trabalho de promoção e valorização patrimonial.

DESTINATÁRIOS
Público alvo
– Licenciados na área das Ciências Humanas e Sociais
– Técnicos Superiores de Museus,
Bibliotecários e Arquivistas, Técnicos Municipais das distintas áreas do Património e outros gestores culturais.
– Público em geral com currículo relevante
– *Podem concorrer a esta Pós-graduação não-licenciados, que ficarão diplomados com um Curso de Formação em Património Cultural.

ECTS
60

CONDIÇÕES DE FREQUÊNCIA E AVALIAÇÃO
– Número mínimo/máximo de alunos: 20/30.
– Possibilidade de frequência de unidades curriculares isoladas.
– Avaliação de acordo com o Regulamento Pedagógico em vigor na UTAD.
 
COORDENAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO
Prof. Doutora Orquídea Ribeiro e Prof. Doutor Fernando Moreira

 

FORMADORES

Prof. Doutora Orquídea Ribeiro e Prof. Doutor Fernando Moreira

<<Ver Corpo Docente>>

 

PROGRAMA

<<Ver Programa>>

 

DATAS/ HORÁRIO

– Inicio da Pós-graduação:09 março de 2013 a 28-02-2014.   

– A funcionar em regime pós-laboral, ao Sábado (9h-13h; 14h-18h), até cumprimento da totalidade dos ECTS (um ano).

EMOLUMENTO

Taxa de Candidatura: 20 euros.

Emolumento:1350 euros, com pagamentos em 9 tranches de 150 Euros.

– Unidades Curriculares Isoladas: 30 Euros/Ects.

 

LOCAL

UTAD – Edifício Pedagógico

 

INSCRIÇÕES

Data limite de inscrição
 – Data limite de candidatura: 28 de fevereiro 2013.

 

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS À INSCRIÇÃO:

– Ficha de inscrição devidamente preenchida on-line;
– Curriculum Vitae com respetivos comprovativos;
– Comprovativo de taxa de candidatura de 20€.

 
REGRAS DE INSCRIÇÃO
As inscrições são formalizadas através do preenchimento On-line do formulário de inscrição e envio dos seguintes documentos:
– cópia do Cartão de Cidadão ou Bilhete de Identidade e Cartão de Contribuinte;
Curriculum Vitae e respetivos comprovativos;
– comprovativo de pagamento da Taxa de Candidatura,
por uma das seguintes formas:
− Presencialmente, nas instalações do Gabinete de Formação;
− Por e-mail – gform@utad.pt;
− Por correio – Gabinete de Formação da UTAD; Apartado 1013; 5001-801 Vila Real.
Só serão consideradas as candidaturas que cumpram os requisitos enunciados.
O pagamento pode ser efectuado por:
− Cheque à ordem da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
− Transferência Bancária – NIB 0007 0000 02837000226 23
Os formandos deverão fazer prova do pagamento devido (ex: talão de transferência bancária).​