A carregar Eventos

« Todos os Eventos

  • Este evento já decorreu.

Curso de Técnico Guia de Interpretação e Gestão do Património Geológico e Mineiro

Junho 1 @ 0:00

Banner

 

Curso de Técnico Guia de Interpretação e Gestão do Património Geológico e Mineiro

Na situação atual, o Museu de Geologia Fernando Real decidiu abrir o Curso a partir de 8 de maio, sessão na plataforma Zoom, reabrindo um novo período de inscrição até ao dia 30 de abril.

Como é do vosso conhecimento, a evolução do COVID-19 em Portugal impôs constrangimentos a todos nós. Neste esforço de adaptação exigido, tivemos de fazer uma grande reorganização de todo o ensino, que passa sempre que possível a atividade ensino presencial e aprendizagem para regime de ensino à distância.

Na parte teórica, poderemos fazer à distância quase todas as sessões e a parte prática no campo ou Museus, que permitem conhecer a geologia, o património geológico, mineiro e natural e fazer a interpretação da paisagem. A parte prática será feita em final de junho e julho ou em setembro/outubro, se tiver de ser adiada.

Saber interpretar a paisagem e gerir o vasto património geológico e mineiro existente no Norte de Portugal, é uma tarefa complexa, que implicará sempre uma sólida preparação científica nessas áreas específicas, mas também nos domínios da gestão dos recursos naturais e do turismo. A conjugação de conhecimentos nestas três áreas, devidamente articulados em programas e projetos de desenvolvimento promovidos pelas entidades competentes (nomeadamente municípios), será essencial para incrementar de forma realista e sustentável o desenvolvimento económico e social da região Norte.

– A abordagem multidisciplinar deste curso permitirá formar técnicos guia especializados na interpretação de património geológico, mineiro, geomorfológico e arqueológico, mas com capacidade crítica na área da gestão dos recursos naturais e do geoturismo. Este aspeto será essencial para os técnicos guia poderem contribuir ativamente em soluções que visem a colmatação do fosso existente entre a grande riqueza patrimonial do Norte de Portugal e as suas potencialidades turísticas, contribuindo para a melhoria dos serviços de animação turística local e regional.

– O presente curso permitirá ainda adquirir competências científicas e didáticas nas áreas da museologia e museografia dedicadas à geologia e exploração mineira, adequadas ao desempenho das funções inerentes à carreira de conservador/coordenador de museus, centros de ciência e empresas culturais diversas, bem como de orientador de visitas de estudo de alunos dos vários ciclos de ensino e ao público em geral.

 

APRESENTAÇÃO

O Museu de Geologia Fernando Real integra a rede do Roteiro das Minas e Pontos de Interesse Mineiro e Geológico em Portugal dinamizado pela EDM (Empresa de Desenvolvimento Mineiro) e pela DGEG (Direção-Geral de Energia e Geologia).

Saber interpretar e gerir o vasto património geológico e mineiro existente em Portugal é uma tarefa complexa, que implicará sempre uma sólida preparação científica nessas áreas específicas, mas também nos domínios da gestão dos recursos naturais e do turismo. A conjugação de conhecimentos nestas três áreas, devidamente articulados em programas e projetos de desenvolvimento promovidos pelas entidades competentes (nomeadamente municípios) será essencial para incrementar de forma realista e sustentável o desenvolvimento económico e social de várias regiões do país.

Em sintonia com esta abordagem, neste curso também será dada ênfase ao importante papel da museologia e museografia na transmissão e divulgação de temas relacionados com o património geológico, mineiro, geomorfológico e arqueológico. O Museu de Geologia Fernando Real já é um exemplo paradigmático desta realidade, pela experiência obtida na orientação de visitas de estudo a alunos de escolas secundárias e a um público geral com curiosidade e vontade de conhecer melhor as rochas e minerais que constituem o ambiente geológico que os rodeia, mas também pela organização periódica de exposições temporárias com temáticas diversificadas. Atendendo a que muitos municípios estão sensibilizados para esta realidade, apoiando cada vez a mais a instalação de ecomuseus e centros de ciência, considera-se que este curso também será capaz de proporcionar uma preparação científica e didática adequada a quem tenha futuramente a função de coordenar essas instituições e/ou de orientar visitas guiadas nas mesmas ou ao campo, em itinerários com reconhecido interesse geológico, mineiro e turístico, para comunicar de forma elucidativa com um público diversificado em termos de literacia científica.

 

OBJETIVOS

– A abordagem multidisciplinar deste curso permitirá formar técnicos guia especializados na interpretação de património geológico, mineiro, geomorfológico e arqueológico, mas com capacidade crítica na área da gestão dos recursos naturais e do geoturismo. Este aspeto será essencial para os técnicos guia poderem contribuir ativamente em soluções que visem a colmatação do fosso existente entre a grande riqueza patrimonial do nosso país e as suas potencialidades turísticas e a melhoria dos serviços de animação turística locais e regionais.

– O presente curso permitirá ainda adquirir competências científicas e didáticas nas áreas da museologia e museografia dedicada à geologia e exploração mineira, adequadas ao desempenho das funções inerentes à carreira de conservador/coordenador de museus, centros de ciência e empresas culturais diversas, bem como de orientador de visitas de estudo de alunos dos vários ciclos de ensino e ao público em geral.

 

DESTINATÁRIO

Público alvo

– Técnicos de Museus, Centros Interpretativos, Centros de Ciência Viva, etc.;

– Gestores e técnicos de municípios que trabalhem na área de turismo;

– Empresários e gestores de animação turística;

– Operadores e agentes turísticos;

– Guias de turismo cultural e da natureza;

– Professores;

– Alunos do ensino superior.

 

RESPONSÁVEL/COORDENADOR CIENTÍFICO DO CURSO

Prof. Maria Elisa Preto Gomes e  Prof. Rui Teixeira

 

ENTIDADES ENVOLVIDAS

Roteiro das minas e pontos de interesse mineiro e geológico de Portugal/EDM/DGEG

Parceiros do Roteiro (ISEP; FEUP; Geoparque Arouca, Geoparque Terras de Cavaleiros, Centros Interpretativos das minas de Borralha, Argozelo e Tresminas), Museu do Volfrâmio de Carva, Museu do Ferro (Torre de Moncorvo), Termas  de Vimioso

 

DURAÇÃO

324 horas totais, 110 horas de contacto  – 110 TP + 15 OT (10 horas × 12 semanas)

 

CRONOGRAMA

cronograma1

CONDIÇÕES DE AVALIAÇÃO

– Assistência a um mínimo de 70 % das horas de contacto sumariadas;

A avaliação dos conhecimentos teórico-práticos será efetuada através da realização de um exame final teórico-prático, relacionado com a totalidade dos conteúdos programáticos. Além disso, cada aluno terá de elaborar um relatório individual de uma das visitas de campo efetuadas.

A classificação final (CF) é calculada através da fórmula:

CF = 2/3 classificação do exame final teórico-prático + 1/3 classificação do relatório individual de uma das visitas de campo efetuadas.

A classificação final não pode ser inferior a 9,5 valores.

 

 PROGRAMA

Módulo I (38h)

 – Geodinâmica e geomorfologia

– Reforçar conceitos considerados estruturantes no conhecimento geológico;

– Compreender a estrutura e a dinâmica da Terra;

– Interpretar a paisagem com base no conhecimento geológico.

Mineralogia e Petrologia

– Identificar minerais com base nas suas principais propriedades físicas e químicas;

– Compreender a génese dos principais tipos de rochas (magmáticas, metamórficas e sedimentares);

– Classificar as rochas com base em critérios mineralógicos e texturais.

Estratigrafia e Paleontologia

– Compreender os princípios da Estratigrafia;

– Reconhecer a importância dos fósseis na datação das formações rochosas que os contêm;

– Identificar fósseis de diferentes períodos na coleção do Museu de Geologia Fernando Real.

Recursos minerais e antigas áreas mineiras reabilitadas

– Identificar recursos geológicos e respetiva aplicabilidade numa perspetiva Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente;

– Reconhecer a existência de recursos minerais metálicos em Portugal;

– Conhecer Técnicas de exploração mineira ao longo do tempo;

– Conhecer conceitos e técnicas de recuperação ambiental de áreas degradadas, fomentando a sustentabilidade dos ecossistemas, ilustrados com casos de âmbito nacional e internacional

Modelos análogos

– Compreender e experimentar modelos análogos e reconhecer a sua importância para a compreensão de processos geológicos complexos.

Módulo II Gestão e Administração (35h)

O passado, presente e futuro das Minas em Portugal

– Apresentar o Roteiro das minas e pontos de interesse mineiro e geológico de Portugal

– Conhecer a regulamentação e legislação dos Recursos Geológicos
– Desenvolver atitudes de valorização do património geológico e mineiro

Comunicar Ciência, Museologia e Museografia

– Compreender conceitos relevantes no que respeita à comunicação de ciência.

– Compreender conceitos essenciais à museologia e museografia;

– Reconhecer a importância da preparação de profissionais de museus (conservadores) em todas as áreas abrangidas pelas práticas museológicas: inventário, conservação, gestão, comunicação, investigação e exposição.

Análise de mercado e legislação turística

– Compreender o papel das entidades reguladoras do turismo na orientação e fundamentação da atividade turística regional e local.

–  Conhecer formas de Promoção do Território

Gestão e assistência a grupos

– Fornecer mecanismos de gestão que permitam, através da aposta na inovação, contribuir para uma prestação de serviços turísticos de qualidade na distribuição turística;

– Dotar os estudantes de um perfil que se caracterize por articular os interesses pessoais e da organização de trabalho, em defesa da ética e da responsabilidade perante os turistas.

Itinerários e sistemas de informação geográfica

– Perceber as regras de conceção, divulgação e comercialização dos itinerários turísticos;

– Saber planear e concretizar um itinerário turístico com apoio dos SIG.

Módulo III Turismo e Lazer (35h)

Geoparques, Geoturismo e Geoconservação

– Compreender o conceito de Geoparque;

– Reconhecer que o desenvolvimento sustentável da sociedade assenta em três componentes principais, a geoconservação, a educação e o geoturismo.

Turismo e desenvolvimento sustentável

– Compreender que o turismo deve sempre salvaguardar o ambiente e os recursos naturais, garantindo o crescimento económico da atividade, mas satisfazendo as necessidades das presentes e futuras gerações.

Técnicas de interpretação do património

– Aprender diferentes técnicas e métodos de apresentação e interpretação do património natural, que permitam a sua valorização e proporcionem experiências agradáveis e enriquecedora aos visitantes.

– Património Hidromineral

Hidrogeologia, nascentes  e fontenários

–  Compreender a relação das águas minerais naturais com o ambiente geológico.

–  Conhecer aplicações dos Pelóides na saúde humana.

–  Conhecer aproveitamentos de termalismo terapêutico.

_ Património Arqueológico

– Reconhecer a importância da Arqueologia no estudo de antigas sociedades e evolução do homem no território português, a partir da análise de vestígios materiais.

– Compreender o conceito de arte rupestre e contextualizar as diversas ocorrências em Portugal;

– Reconhecer a importância de preservação dos achados arqueológicos e o seu interesse turístico.

– Registar e modelar peças arqueológicas usando técnica fotogramétrica ou luz estruturada

 

CORPO DOCENTE

Docentes dos Departamentos de Geologia da UTAD:

Alcino Sousa Oliveira

Anabela Ribeiro Reis

Ana Maria Pires Alencoão

Artur Agostinho Abreu Sá

Fernando Pacheco

João Carlos da Conceição Vieira Baptista

José Martinho Lourenço

Luís Manuel Oliveira Sousa

Maria Elisa Preto Gomes

Maria Emília Simões de Abreu

Maria do Rosário Costa

Nuno Monteiro Vaz

Paulo Jorge Campos Favas

Rui José dos Santos Teixeira

– Docentes convidados:

Alberto Tapada (AETUR)

Bernardo Lemos (Roteiro das minas e pontos de interesse mineiro e geológico de Portugal)

Carlos Ferreira (Turismo Porto & Norte)

Carlos Coke (Instituto de Ciências da Terra)

Daniela  Rocha (Geoparque Arouca)

Diamantino Pereira (Geoparque Terras de Cavaleiros)

José Paulo Santos (colaborador UTAD)

Susana Medina (Museu da FEUP)

Patrícia Costa (Museu do ISEP)

Paulo Fonseca (doutorando UTAD)

Zélia Estevão (EDM)

 

CARTAZ

<<Ver>>

 

EMOLUMENTO

250€ – Alunos da UTAD ou Parceiros do Roteiro das minas e pontos de interesse mineiro e geológico de Portugal

300 € – Público em geral

 

PRÉMIO

Melhor Classificação400 euros
2ª e 3ª classificação300 euros

 

LOCAL

Sala A3.02 do Polo I da ECVA (Edifício Geociências)

Museu de Geologia Fernando Real

 

NUMERUS CLAUSUS

Vagas Previstas – 20

 

INSCRIÇÕES

<<INSCRIÇÕES ON LINE>>​

Limites de inscrições até ao dia 20 de março.

 

REGRAS DE INSCRIÇÃO

As candidaturas são formalizadas através do preenchimento da ficha de candidatura (on-line no link acima indicado) e da entrega dos seguintes documentos:

· Comprovativo de pagamento original ou envio da digitalização do comprovativo de pagamento para o mail infra, por uma das seguintes formas:

· Presencialmente, nas instalações do Gabinete de Formação;
· Por e-mail – xazevedo@utad.pt;
· Por correio – Gabinete de Formação da UTAD, 500-801 Vila Real.

Só serão consideradas as candidaturas com os dados devidamente preenchidos e mediante a entrega dos documentos acima mencionados.

O pagamento pode ser efetuado por:

· Cheque à ordem da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro;
· Transferência Bancária – IBAN PT50 0018 000346205068020 22
. BIC SWIFT – TOTAPTPL

Os formandos deverão fazer prova do pagamento devido (ex: talão de transferência bancária).

Nota: É favor indicar o titular da conta bancária (quando não for a própria ou o próprio).

Detalhes

Data:
Junho 1
Hora:
0:00
Categoria de Evento: