“A relação que os estudantes têm com os docentes, é de facto muito, muito boa. É algo que temos sabido potenciar e ajuda-nos muito na troca de conhecimento”

​Nasceu no Porto, mas foi em Vila Real que se radicou, após a formação em Medicina Veterinária. Na UTAD é professor e responsável pelo Serviço de Neurologia dos Animais de Companhia, um serviço cada vez mais procurado. Gosta muito do que faz, mas ao final do dia despe o pijama cirúrgico e veste a pele de treinador, uma paixão de infância agora corporizada e refletida no sucesso da sua equipa.


Gostávamos de o conhecer melhor. Fale-nos um pouco de si.

Sou natural do Porto. Licenciei-me em Medicina Veterinária em Lisboa e estou há 22 anos na UTAD. Sou professor catedrático na área da Neurologia e leciono ao 5º ano Neurologia Clinica no Hospital Veterinário da UTAD, onde temos vindo a crescer em termos de casuística e na área da investigação.

O que mais gosta na sua atividade profissional?

Fundamentalmente contatar com os estudantes. Eu costumo dizer que estamos cada ano mais velhos e os nossos estudantes têm sempre a mesma idade. Gosto muito do que faço em termos de neurologia, do contato com os tutores dos cães e gatos, de poder auxiliar com o que sei e do que conseguimos fazer nos nossos casos clínicos. Temos muitos, com casuística muito diversa, muitos traumatismos decorrentes de atropelamentos e quedas, muitos cães epiléticos, doenças degenerativas…e recebemos casos da região norte, mas também de lisboa, algarve, madeira…

Nota que há um maior cuidado por parte dos tutores com os seus animais, com essas situações?

Sem dúvida! Quando cheguei à UTAD há 22 anos, por exemplo, ninguém vacinava gatos. Era considerado um animal outdoor… hoje em dia não! As coisas estão bastante diferentes e ainda bem, em prol dos nossos animais.

O que mais gosta na UTAD?

Eu conheço todas as universidades a nível nacional e diversas no plano internacional, e eu diria que a UTAD tem um campus maravilhoso! Também a relação que os estudantes têm com os docentes, é de facto muito, muito boa. É algo que temos sabido potenciar e ajuda-nos muito na troca de conhecimento, mas também aprendo muito com os estudantes e essa relação de proximidade é excelente.

Uma ideia para uma UTAD melhor…

Continuar e melhorar o serviço à comunidade por parte do nosso Hospital Universitário. Na parte que me cabe, na área da neurologia, gosto e sinto que tenho trabalhado nesse sentido.

Já sabemos que gosta muito da sua atividade profissional, mas tem outra paixão… podemos saber um pouco mais?

É o Ténis de Mesa. Sou treinador de nível II. Fundamentalmente é o regresso ao meu passado. Eu fui praticante até aos 15 anos, a um nível interessante, diria. O meu regresso deveu-se aos meus filhos, em particular à Rita, com 15 anos, que hoje pertence à Seleção Nacional de Ténis de Mesa. Não sou treinador principal dela, sou treinador tático. Fundamentalmente aos fins-de-semana tento auxiliar no que posso e partilhar bons momentos com a minha filha. Como treinador tenho tido sucesso a nível nacional. A minha equipa da 2ª divisão feminina sénior, constituída por atletas jovens, em formação, entre os 14 e os 17 anos, atingiu o título por três vezes consecutivas. Nos torneios nacionais temos ganho vários títulos, quer com a minha filha Rita, quer com outras atletas. A Rita está a treinar no CTM de Mirandela, onde joga pontualmente na equipa da primeira divisão, neste, que é o clube nacional mais importante a nível feminino.

Sabemos que tem um espaço muito interessante para a prática da modalidade a que chama carinhosamente de CTMVarejão…

Como a Rita vai duas a três vezes por semana treinar a Mirandela e eu também, são cerca de 60 km e ao final do dia… isso levou-me a criar em minha casa um espaço para treino com um conjunto de condições necessárias para a prática do Ténis de Mesa, e tem resultado! Felizmente aqui na UTAD, temos alunos do curso de desporto que foram jogadores do Mirandela e que são excelentes companheiros de treino da Rita, por isso duas a três vezes por semana, em minha casa, respira-se Ténis de Mesa… no CTMVarejão (risos).

Veja também esta entrevista em vídeo: [VER]
Entrevista: Rosa Rebelo | GCI – Gabinete de Comunicação e Imagem
Fotos e Vídeo (Realização): José Paulo Santos | GCI – Gabinete de Comunicação e Imagem