Modelos Barras FUNDOS v04 3logos

Designação do projeto | Ensino@IES – Portal do Ensino na UA e na UTAD

Código do projeto | POCI-02-0550-FEDER-022120

Objetivo principal | OT 2 – Melhorar o acesso às tecnologias da informação e da comunicação, bem como a sua utilização e qualidade

Região de intervenção | Norte e Centro

Entidade beneficiária principal | UNIVERSIDADE DE AVEIRO

Entidade co-beneficária | UNIVERSIDADE DE TRAS OS MONTES E ALTO DOURO

Data de início | 1 de Julho de 2017

Data de conclusão | 30 de Junho de 2021

Custo total elegível do Projeto| 2.033.477,89€

Custo total elegível da UTAD| 608.268,32€

Apoio financeiro da União Europeia UTAD| 517.028,07€

Objetivos |

A operação concorre para a prossecução dos seguintes objetivos e prioridades:

  1.  Reduzir os custos de contexto através do reforço da disponibilidade e fomento da utilização de serviços em rede da Administração Pública e melhorar a sua eficiência;
  2. Qualificar a prestação do serviço público através da formação dos trabalhadores em funções públicas. Complementarmente, a operação concorre para:
  3. A estratégia nacional em matéria de modernização e simplificação administrativa, nomeadamente para o Programa Simplex+ 2016, devendo ter em consideração os seguintes princípios:
  4. Princípio do utilizador de serviços e bens públicos – as operações devem ter em conta as necessidades efetivas de um universo alargado de pessoas e empresas;
  5. Princípio da concentração num ponto único de contacto – utilizar o balcão único para centralização de interações com os serviços públicos, aproveitando-se para se proceder à integração de regimes e procedimentos que lhe sejam conexos;
  6. Princípio da colaboração entre os diferentes ministérios e com os diferentes níveis da administração e partilha de informação entre entidades públicas – incluir operações de natureza transversal, fomentando a colaboração entre os serviços/organismos dos diversos Ministérios, e entre os diferentes níveis de administração, bem como a partilha de informação em detrimento de pedir ao cidadão ou à empresa a mesma informação mais que uma vez;
  7. Princípio da Administração Aberta – reutilizar informação ou dados de natureza pública, sem prejuízo da proteção dos dados pessoais ou protegidos os direitos de autor;
  8. Princípio da interoperabilidade e aproveitamento de sistemas de informação existentes – utilizar, se disponível, hardware e software existentes, ainda que sob diferente tutela (como sejam servidores, storage, cloud, entre outros); adotar, sempre que possível, software livre; garantir independência da manutenção e reformulação dos sistemas, bem como garantir a interoperabilidade com os sistemas existentes, como sejam o Cartão do Cidadão (como meio de autenticação), o Portal do Cidadão, o Balcão do Empreendedor, a Plataforma de Interoperabilidade da Administração Pública (incluindo a gateway de SMS e Plataforma de Pagamentos), entre outros sistemas relevantes.
  9. O Plano global estratégico de racionalização e redução de custos com as TIC na Administração Pública, aprovado pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 12/2012, de 7 de fevereiro.

Neste âmbito a operação tem como objetivos:

Apoio ao processo de Ensino Pretende-se intervir nos principais módulos do apoio à aula, no Portal Académico de cada uma das IES, designadamente:

– Secretaria Virtual de Estudante

– Apoio às Aulas de Docentes

– Serviços de apoio às Secretarias das UOEI

– Gestão do Calendário Escolar e de Exames

– Gestão de Horários e Turmas

– Agenda Integrada.

– Adequar e otimizar os processos de mobilidade em cada IES;

 – Integrar a informação da mobilidade com o SIGACAD, já em funcionamento nas IES.

É igualmente essencial desmaterializar e preservar os processos académicos dos estudantes que se encontram atualmente em arquivo físico (papel).

Pretende-se objetivamente:

– Digitalizar os processos individuais dos estudantes que ainda se encontram somente em papel;

– Integrar e registar os respetivos metadados no SIGACAD.

É igualmente importante reformular o tradicional processo de registo de assiduidade, criando novos mecanismos de registo de presenças nas aulas com elevado número de estudantes, nomeadamente:

– Desenvolvimento de uma aplicação (app) móvel a instalar no dispositivo móvel (smartphone) do docente de uma turma;

– Integração da app móvel do docente com os SI da área académica, nomeadamente o módulo de apoio à aula. Na vertente dos serviços de apoio, é fundamental o aproveitamento eficiente dos espaços dedicados ao ensino, nomeadamente, na racionalização dos espaços de aulas, dependendo das suas características e especificidades.

Nesse sentido, torna-se necessário o desenvolvimento de um módulo que possibilite, nomeadamente:

– A gestão eficiente dos espaços de aulas;

– A gestão de espaços necessários para eventos associados às atividades letivas e de investigação;

– A integração de várias fontes de informação internas que, para diversas áreas de atividade, tem a necessidade de reservar e alocar espaços. Está igualmente identificada a necessidade de criar novos mecanismos para agilizar os processos de pagamento na área académica, e consequentemente, dotar os estudantes das instituições de uma plataforma centralizada de pagamentos.

Nesse sentido, pretende-se: –

O desenvolvimento um módulo centralizado de pagamentos na IES, que disponibilize ao estudante a informação das suas dívidas, provenientes de outros SI da instituição, e que, de uma forma ágil, o estudante possa escolher que dívidas pretende pagar e com que meio de pagamento eletrónico;

– A integração automática com os sistemas internos geradores de dívidas;

– A integração automática com o sistema de faturação.

– A integração com a plataforma de pagamentos da iAP (PPAP).

É também essencial uma reformulação dos atuais processos de atendimento presencial e de gestão de filas de espera, de forma a permitir a otimização na organização dos serviços sujeitos a uma elevada pressão de utilizadores, e em que, por natureza, não se afigura possível dispensar por inteiro a componente presencial.

Esta operação pretende incorporar o Estudante ID, como identificador digital único do estudante, sendo a sua atribuição feita através da infraestrutura existente do Cartão do Cidadão ou usando a Chave Móvel Digital. Gestão dos trabalhos académicos:

– Adoção de um repositório em software aberto que permita a autossubmissão de trabalhos académicos de uma forma organizada;

– Adoção de uma plataforma de deteção de plágio, que permita em qualquer momento, desde a submissão à avaliação do trabalho, avaliar a sua originalidade.

Gestão do serviço de refeições:

– Reformular o processo de gestão do serviço de refeições;

– Implementar o sistema de gestão deste serviço;

– Instalar os dispensadores de senhas físicos e desmaterializados;

– Integrar o sistema com sistema de pagamentos;

– Integrar o sistema com os sistemas complementares, nomeadamente financeiro e de gestão de stocks.

Comunicação e Informação:

– Adoção de um CMS para o portal de informação académica e da oferta formativa, em software aberto;

– A integração do novo portal de informação académica e da oferta formativa com os serviços de noticias e jornal online institucional e com as redes sociais. Supervisão, Garantia da Qualidade e Apoio à Decisão

Ao nível da qualidade e supervisão, pretende-se aprofundar o modelo do SGQ já existente, em particular do SubGQ_UC, com a introdução da monitorização automática do ciclo académico nos diversos graus de ensino das Instituições, complementada com uma estrutura de indicadores de gestão que permitam aos responsáveis dos vários níveis hierárquicos garantir o planeamento, controlo e acompanhamento atempado da realização dos processos académicos, quer ao nível das UC, quer ao nível dos cursos. Infraestrutura de suporte

– Atualização tecnológica e de capacidade das UPSs;

– Aumento da capacidade de processamento para cloud;

– Aumento da de armazenamento para cloud;

– Aumento da na rede sem fios.