Grau Académico
Licenciado (pós-Bolonha)
Objetivos
Portugal é um País essencialmente florestal, precisamos de profissionais capazes de gerir este bem.
Nós recebemos estudantes particularmente vocacionados para desenvolver e exercer atividades diretamente relacionadas com a Natureza e com as Ciências do Ambiente.
A licenciatura em Engenharia Florestal da UTAD é um curso de 1º ciclo com a duração de 3 anos. O plano de estudos, cuidadosamente delineado para corresponder aos desafios atuais do tratado de Bolonha, tem como objetivo formar profissionais competentes na área das Ciências Florestais, ao nível de:
Inventário das florestas para uso múltiplo,
Biodiversidade e conservação de espaços verdes e vida selvagem,
Gestão sustentável dos recursos florestais,
Ordenamento e planeamento florestal,
Produção de material lenhoso e transformação tecnológica,
Fixação de carbono e alterações climáticas,
Gestão dos recursos hídricos,
Monitorização dos ecossistemas aquáticos.
Área CNAEF
Silvicultura e Caça
(623) Portaria n.º 256/2005
Horário
Semanal: Diurno
Duração
6 semestres
ECTS
180
Prémios ou Destaques
Saídas Profissionais
- Auxiliar e executar funções técnicas na gestão e preparação de planos de colheita de material lenhoso
- Auxiliar no planeamento e supervisionamento da construção das vias de acesso e estradas florestais
- Conduzir, supervisionar e participar em inventários de recursos florestais e silvestres
- Contribuir para a inovação na área da transformação dos produtos florestais
- Coordenar as atividades de eliminação e/ou controle de pragas e doenças
- Desenvolver e manter bancos de dados de computadores através de sistemas de informação geográfica
- Elaborar Estudos de Impacto Ambiental
- Fornecer educação florestal, conselhos e recomendações aos proprietários, organizações comunitárias e ao público em geral
- Gerir e monitorizar a vida selvagem
- Gerir os recursos hídricos e cinegéticos
- Gerir negócios como administradores florestais
- Implementar, supervisionar e executar funções técnicas nas operações de silvicultura que envolvem a preparação do terreno, plantação e acompanhamento das árvores
- Monitorizar os ecossistemas aquáticos
- Monitorizar atividades de empresas madeireiras e empreiteiros e fazer cumprir os regulamentos, tais como as relativas à proteção ambiental, utilização de recursos, segurança contra incêndios e prevenção de acidentes
- Ordenar florestas e dar apoio técnico a produtores
- Preservar e recuperar recursos degradados em sistemas agroflorestais (terrestres, aquáticos e ribeirinhos)
- Proteger os recursos hídricos
- Proteger a floresta contra incêndios
- Proteger a qualidade e do Abastecimento dos recursos hídricos
- Supervisionar e executar funções técnicas em operações de colheita florestal
- Supervisionar operações de viveiro florestal
Perfil do Diplomado
Os técnicos com esta formação têm capacidade de resolver problemas na sua área, saber recolher, selecionar e interpretar informação específica da área, saber fundamentar e comunicar as soluções propostas, desenvolver competências e motivação para a aprendizagem ao longo da vida. Deve ainda ser capaz de inovar, investigar e colocar o seu conhecimento prático e experiência ao serviço da Floresta em Portugal; Criar uma forte ligação com os produtores para apoiar e aconselhar de forma eficaz a nível local para ajudar a atender às necessidades locais. Assim, o técnico florestal deve:
- Dominar o ordenamento florestal, com as implicações que tem ao nível da gestão e ordenamento cinegético e dos recursos hídricos;
- Interagir com os proprietários florestais e estar capacitado para responder às solicitações tão diferenciadas e heterogéneas que lhe possam surgir
- Deve ser capaz de explorar as fontes de financiamento que sejam passíveis de estimular a floresta particular
- Saber formular estratégias de proteção e/ou restauração/reabilitação dos ecossistemas terrestres, aquáticos e ribeirinhos
- Saber delinear medidas de prevenção e proteção contra cheias e inundações
- Ser capaz de inventariar as existências florestais
-
- Ser um técnico que domine e goste de temáticas na área da Silvotecnologia e indústria florestal. Deve dominar princípios de gestão de empresas e de pessoal;
- Ter perfil generalista com conhecimentos básicos de Silvicultura e ordenamento florestal;
- deve dominar ferramentas de SIG;
- deve dominar os princípios básicos de proteção de floresta contra incêndios
- Ter apetência para trabalhos de investigação e, por isso, deve dominar conceitos profundos de Silvicultura e de delineamento de experiências;
- deve dominar técnicas de tratamento estatístico.
- Deve ser curioso e querer saber sempre mais e o porquê.
Entidades onde Exercer
Empresas de Gestão e Planeamento de Recursos Naturais,
Indústrias Florestais,
Parque e Reservas Naturais,
Associações de Produtores e/ou Proprietários Florestais,
Serviços Centrais e Regionais de Administração Pública e Câmaras Municipais.
Código DGES
9114 (ver mais informações)
Vagas
20
Condições de Acesso
Preferência Regional:
não aplicável

Pré-requisitos:
não exigidos
Provas de Ingresso
Um dos seguintes conjuntos:
(02 Biologia e Geologia; 19 Matemática A) ou
(07 Física e Química; 19 Matemática A)
Nota Mínima
Provas de ingresso: 95 (escala de 0-200)
Nota de candidatura: 95 (escala de 0-200)
Nota do Último Aluno Colocado na 1ª Fase
2018: 147,6
2017: 118,9
Cálculo da Nota de Acesso
Média do Secundário: 65%
Provas de Ingresso: 35%
Data da Decisão
19-10-2016
Deliberação da A3ES
Data do Registo
18-03-2011
Validade
19-10-2022